quinta-feira, 26 de março de 2009

Rifa para castrar gatinhos carentes! - FECHADA

SOBRE A RIFA

A rifa é numerada de 000 a 999, com 1000 números dispostos em duzentas seqüências de cinco números consecutivos, Sendo assim, ao comprar uma seqüência, no valor de cinco reais (R$ 5,00), você concorre com cinco números!

O BRINDE

FURminator: a "escova mágica"

Revolucionário e inovador sistema de remoção de pêlos soltos e mortos das pelagens dos animais, com rendimento em mais de 90%. sem, contudo, provocar quaisquer tipos de danos aos mesmos. Ao contrário, os animais adoram serem escovados com o FURminator!

Este novo aparelho remove os pêlos com muito mais eficiência do que escovas, rasqueadeiras ou rastelos. Realça o brilho dos pêlos, promovendo uma pelagem muito mais saudável.

Reduz drastricamente os pêlos soltos no ambiente, causadores de reações alérgicas em muitas pessoas.

IMPORTANTE: o produto não é recomendado para pêlos crespos e encaracolados como os das raças Poodle, Bichon Frisé e Maltês.






SORTEIO

O sorteio será feito pela Loteria Federal. O número vencedor (que estará dentro de uma seqüência) será definido pela centena do primeiro prêmio. Por exemplo: se for sorteado, no primeiro prêmio, o numero 13804 o vencedor será o número 804, que está na seqüência número 161. O vencedor, então, será aquele que escolheu esta seqüência.

Se o número sorteado estiver em uma seqüência não vendida, será considerada a centena do segundo prêmio da Loteria Federal e assim sucessivamente até o quinto prêmio.


A data do sorteio será definida assim que as seqüências forem vendidas


COMO PARTICIPAR

Para participar da rifa é muito simples! Escolha a(s) sequência(s) e mande um e-mail para resgatos@resgatos.org assim que fizer o depósito do valor referente ao número de sequências escolhidas, informando os dados deste depósito. Você receberá um e-mail com a confirmação.

O depósito pode ser feito nas agências da Caixa Econômica Federal ou lotéricas de todo o Brasil.

Caixa Econômica Federal
Agência: 2906
Operação: 013 (poupança)
Conta nº: 3852-3
Titular: Lin Labbe

terça-feira, 3 de março de 2009

JULINHO VIROU ESTRELINHA... 28/02/2009



JULINHO. Tem quatro meses, mas aparenta ter apenas dois. É pequenino, pois foi retirado da mãezinha e abandonado com apenas 2 dias de nascido... Foi criado por mim, na mamadeira, de quatro em quatro horas. Dez dias depois, abriu os olhinhos. Dias mais tarde, aprendeu a comer ração sozinho. É muito meigo e dócil. Seu irmãozinho não resistiu e virou estrelinha (esse que está na foto de capa do blog).









Julinho virou estrelinha hoje (28/02/2009). Ele nasceu com má formação urogenital e não resistiu até seu quadro poder ser melhor avaliado. Estava, de certa forma, saudável e convivia razoavelmente bem com seu probleminha. Mas o quadro se agravou de ontem para hoje e, mesmo com todos os cuidados médicos que recebeu, não resistiu e foi se encontrar com seu irmãozinho... Muitas saudades de ti, meu pequeno... Me perdoe se eu não fiz mais por você. Perdoe-me...





video

segunda-feira, 2 de março de 2009

RESPOSTA À PERGUNTA DE ALGUMAS PESSOAS

por Francisco José Papi



"Por que não vão defender as crianças com fome?"

Questão interessante.

Vamos ver se essa eu consigo responder de modo didático.

1) Quem faz esta pergunta admite que existem dois tipos de pessoas no mundo:

As Pessoas Que Ajudam e as Pessoas Que Não Ajudam.

Além disso, admite também que faz parte das Pessoas Que Não Ajudam , afinal, do contrário, diria "Por que não me ajudam a defender as crianças com fome?", ou "Venham defender comigo as crianças com fome!", ou "Não, obrigada, vou defender as crianças com fome".

Então ela se coloca claramente através de sua escolha de palavras como uma Pessoa Que Não Ajuda.

É curioso a Pessoa Que Não Ajuda, não faz nenhum esforço para ajudar, mas, sim, para tentar dirigir as ações das Pessoas Que Ajudam.
É bastante interessante. Se eu fosse até sua casa organizar sua vida financeira sob a alegação de que eu sei muito mais sobre administração familiar eu estaria interferindo, mas ela se sente no direito de interferir nas ações que uma pessoa resolve tomar para aliviar os problemas que ela encontra ao seu redor.
É uma Pessoa Que Não Ajuda, mas ainda assim quer decidir quem merece ajuda das Pessoas Que Ajudam e o nome disso é "prepotência".

2) Pessoas Que Ajudam nunca vão ajudar as "crianças com fome". Nem tampouco os "velhos", os "doentes" ou os "despossuídos". E sabe por que?
Porque "crianças com fome" ou "velhos" ou qualquer outro destes é abstrato demais. Não têm face, não são ninguém. São figuras de retóricas de quem gosta de comentar sobre o estado do mundo atual enquanto beberica seu uisquezinho no conforto de sua casa.

Pessoas Que Ajudam agem em cima do que existe, do que elas podem ver, do que lhes chama atenção naquele momento. Elas não ajudam "os velhos", elas ajudam "os velhos do asilo X com 50,00 reais por mês".
Elas não ajudam "as crianças com fome", elas ajudam "as crianças do orfanato Y com a conta do supermercado".
Elas não ajudam "os doentes", elas ajudam o "Instituto da Doença Z com uma tarde por semana contando histórias aos pacientes".
Pessoas Que Ajudam não ficam esperando esses seres vagos e difusos como as "crianças com fome" baterem na porta da sua casa e perguntar se elas podem lhe ajudar.
Pessoas Que Ajudam vão atrás de questões muito mais pontuais.
Pessoas Que Ajudam cobram das autoridades punição contra quem maltrata uma cadela indefesa sem motivo.
Pessoas Que Ajudam dão auxílio a um pai de família que perdeu o emprego e não tem como sustentar seus filhos por um tempo.
Pessoas Que Ajudam tiram satisfação de quem persegue uma velhinha no meio da rua.
Pessoas Que Ajudam dão aulas de graça para crianças de um bairro pobre.
Pessoas Que Ajudam levantam fundos para que alguém com uma doença rara possa ir se tratar no exterior.
Pessoas Que Ajudam não fogem da raia quando vêem QUALQUER COISA onde elas possam ser úteis. Quem se preocupa com algo tão difuso e sem cara como as "crianças com fome" são as Pessoas Que Não Ajudam .

3) Pessoas Que Ajudam são incrivelmente multitarefa, ao contrário da preocupação que as Pessoas Que Não Ajudam manifestam a seu respeito. (Preocupação até justificada porque, afinal, quem nunca faz nada realmente deve achar que é muito difícil fazer alguma coisa, quanto mais várias).
O fato de uma Pessoa Que Ajuda se preocupar com a punição de quem burlou a lei e torturou inutilmente um animal não significa que ela forçosamente comeu o cérebro de criancinhas no café da manhã. Não existe uma disputa de facções entre Pessoas Que Ajudam, tipo "humanos versus animais".

Geralmente as Pessoas Que Ajudam, até por estarem em menor número, ajudam várias causas ao mesmo tempo. Elas vão onde precisam estar, portanto muitas das Pessoas Que Ajudam que acham importante fazer valer a lei no caso de maus-tratos a um animal são pessoas que ao mesmo tempo doam sangue, fazem trabalho voluntário, levantam fundos, são gentis com os menos privilegiados e batalham por condições melhores de vida para aqueles que não conseguem fazê-lo sozinhos.

Talvez você não saiba porque, afinal, as Pessoas Que Ajudam não saem alardeando por aí quando precisam de assinaturas para dobrar a pena para quem comete atrocidades contra animais, que estão fazendo todas estas outras coisas, quase que diariamente. E acho que é por isso que você pensa que se elas estão lutando por uma causa que você "não curte", elas não estão fazendo outras pequenas ou grandes ações para os diversos outros problemas que elas vêem no mundo. Elas estão, sim. E se fazem ouvir como podem, porque sempre tem uma Pessoa Que Não Ajuda no meio para dar pitaco.

Então, como dizia meu avô, "muito ajuda quem não atrapalha".
Porque a gente já tem muito trabalho ajudando pessoas e animais que precisam (algumas até poderiam ser chamadas tecnicamente de "crianças com fome", se assim preferem os que não ajudam).

(Este texto pode e deve ser reproduzido) - Escrito em 13.04.2005

http://www.sosfelinos.com.br/pessoasque.html

domingo, 1 de março de 2009

Yog - em homenagem ao cantor George Michael

Rio, 01/04/2009 O Yog "apareceu" aqui em casa dia 07 de julho de 2008. Foi abandonado na praça, como todos os outros que recolhi. Na época, eu estava dando hospedagem ao Juninho e Faísca, hoje muito bem adotados e batizados de Don e Serafin. Não pude ficar mais que 4 dias com o Yog aqui, por falta de espaço. A Ana, do Grupo Resgatos, grande amiga, o acolheu em sua casa. Mais ou menos um mês depois, a Mônica, que já havia adotado com a Resgatos, foi visitar o George, viu o Yog e se apaixonou por ele! Hoje, o Yog é o bebezinho da casa dela. Ela manteve seu nome e eu fiquei duplamente feliz: pelo nome mantido, que eu coloquei em homenagem ao cantor George Michael (que amo) e pela excelente mãe que Deus deu pra ele. Esse post é para registrar a vida do "meu loirinho".
==================================================================

Amor Felino no. 4
Um dia recebi um e-mail da minha amiga Ana Vitorino falando de um tal de George, um rapaz muito interessante, que na época estava precisando de ajuda. Logo que pude, liguei pra Ana e disse que iria ajudar o George levando o que ele estava precisando naquele momento e indo visitá-lo. Quando cheguei na casa da Ana, encontrei um ruivinho muito fofo, charmoso e muito carinhoso. Me apaixonei por ele. Ele era o Yog, meu bebezinho. Logo que ele foi castrado a Ana o levou lá pra casa. No início foi meio complicado pq um dos rapazes lá de casa é meio genioso, o Batman, mas com a convivência eles foram se adaptando. O Yog é meu quarto gato. Como disse, ele é o bebezinho lá de casa. Adora um chamego, ficar deitado juntinho, encostar a cabecinha na minha cabeça e dormir na minha barriga com a patinha no meu peito para que eu a segure entre as mãos. Como os outros três, ele é um doce e companheiro. É o meu amor felino no. 4.







Francis - ADOTADA!!! =^.^=


FRANCIS. Em torno de 4 meses. É uma "gatinha aquática" - adora água e entra no box quando estamos tomando banho. Muito dócil e tranquila. Foi abandonada sozinha em um salão de festas em construção, ainda bebezinha. As pessoas passavam e colocavam comida, mas não era suficinete. Eu também coloquei ração para ela várias vezes. Certo dia, um conhecido meu, que mora ao lado desse salão de festas, informou-me que seu cão já havia devorado alguns gatos que entravam em seu terreno e que a Francis estava começando a ir também, ficando parada em seu muro. Não pude pensar duas vezes. Pedi a ele que, assim que a visse, a resgatasse e me trouxesse. Ele disse que até gostaria de ficar com ela, mas seu cão não gostaria muito da idéia. Hoje ela está bem, um pouco mais sociável, saudável, muito meiga e extremamente quieta. Um doce de gatinha. Dei-lhe o nome "Francis", pois lembra-me muito uma francesinha, com seu jeitinho meigo, inclusive tem uma pinta entre a boca e o nariz.





A FRANCIS FOI ADOTADA!!!
E agora chama-se Brigitte, em homenagem à Brigitte Bardot :)
28/02/2009 =^.^=